­

"To live is to suffer, to survive is to find some meaning in the suffering". - Friedrich Nietzsche

(Source: rabiscosemfotos1)

eatsleepdraw:

lespork.tumblr.com

eatsleepdraw:

lespork.tumblr.com

chrishaley:

The Legend of Gameboy!
Nintendo’s mighty mini gaming system faces unknown dangers and unspeakable obstacles on another outrageous adventure in this illustration drawn by me and colored by Daniel Butler!
You can get this as a super-fine print from the fine folks at Society6 if you’re interested!
Or if you like it, but you don’t have the scratch to buy a print, you can help us out by reblogging!
xoch 

chrishaley:

The Legend of Gameboy!

Nintendo’s mighty mini gaming system faces unknown dangers and unspeakable obstacles on another outrageous adventure in this illustration drawn by me and colored by Daniel Butler!

You can get this as a super-fine print from the fine folks at Society6 if you’re interested!

Or if you like it, but you don’t have the scratch to buy a print, you can help us out by reblogging!

xo
ch 

(Source: thechrishaley)

black-tangled-heart:

Lego exhibition by Valentino Fialdini

(Source: arpeggia)

(Source: johnnydepps, via w-i-n-g-l-e-s-s)

Não tenho preconceitos, odeio todos igualmente.

(Source: forkspire, via w-i-n-g-l-e-s-s)

(Source: amigodoacaso, via w-i-n-g-l-e-s-s)

luizakawai:

Contato físico nunca me fez tanta falta como está me fazendo agora. E antes que me perguntem, eu não sou o tipo de pessoa que abraça até o português da padaria ou dá bom dia para o porteiro do prédio às seis da manhã de um dia chuvoso. Não sou nem nunca fui assim; sou aquele tipo de pessoa mais introvertida, que sente mais que mostra e só demonstra carinho timidamente aos que já conhece. Mas é que eu estou distante fisicamente dos que eu mais amo… E não adianta, por mais que conversa online, facebook e mensagens de texto sejam bons, nada substitui o “eu te amo” que se fala olhando no olho, o abraço que por si só já demonstra toda a intimidade existente ali, ou aquele beijo de tirar completamente o fôlego. Nada substitui a textura da pele. A profundidade do olhar. Ou o barulho da respiração. Saudade sufoca, mata e dói como um veneno lento e mortal. Mas faz valorizar; Ah, se faz! Valorizar cada reecontro, cada conversa jogada fora, cada coisa banal que para os que nunca passaram por isso é a maior bobagem. Valorizar o sorvete no fim de tarde, as cócegar e os mal humores, valorizar até a dorzinha da despedida que é o que faz nascer a esperança de que tudo se repita outra vez… É, realmente a saudade muda as pessoas e lhe faz mais humano. Então quer saber? Abrace muito, abrece com força, abrace lento, abrace aquela tia chata, abrace sempre… Abrace como se fosse sempre seu último abraço, abrace como se você vivesse com saudade!
Luiza K.

luizakawai:

Contato físico nunca me fez tanta falta como está me fazendo agora. E antes que me perguntem, eu não sou o tipo de pessoa que abraça até o português da padaria ou dá bom dia para o porteiro do prédio às seis da manhã de um dia chuvoso. Não sou nem nunca fui assim; sou aquele tipo de pessoa mais introvertida, que sente mais que mostra e só demonstra carinho timidamente aos que já conhece. Mas é que eu estou distante fisicamente dos que eu mais amo… E não adianta, por mais que conversa online, facebook e mensagens de texto sejam bons, nada substitui o “eu te amo” que se fala olhando no olho, o abraço que por si só já demonstra toda a intimidade existente ali, ou aquele beijo de tirar completamente o fôlego. Nada substitui a textura da pele. A profundidade do olhar. Ou o barulho da respiração. Saudade sufoca, mata e dói como um veneno lento e mortal. Mas faz valorizar; Ah, se faz! Valorizar cada reecontro, cada conversa jogada fora, cada coisa banal que para os que nunca passaram por isso é a maior bobagem. Valorizar o sorvete no fim de tarde, as cócegar e os mal humores, valorizar até a dorzinha da despedida que é o que faz nascer a esperança de que tudo se repita outra vez… É, realmente a saudade muda as pessoas e lhe faz mais humano. Então quer saber? Abrace muito, abrece com força, abrace lento, abrace aquela tia chata, abrace sempre… Abrace como se fosse sempre seu último abraço, abrace como se você vivesse com saudade!

Luiza K.

(Source: lovewithfreedom, via w-i-n-g-l-e-s-s)